A cota com roscones nós tomamos café da manhã por esse 2015 com uma notícia de impacto referente a um novo estudo cujos resultados indicam para a promessa de uma nova linha de ação farmacológica no tratamento da obesidade. O estudo, publicado pela revista Nature Medicine, foi avaliada em ratos os proveitos metabólicos da fexaramina, um composto químico recentemente identificado e patenteado pela Thomson Pharma.

você Pode acessar as notícias dos meios de intercomunicação por esse link e por esse outro. Como funciona a fexaramina? Uma vez administrada a fexaramina trabalharia como um agonista dos receptores FXR smartphones. Tal e como você podes interpretar, por esse caso, a chave são estes receptores FXR (receptor X fernesoide), do mesmo jeito que as ações que esses levam a cabo uma vez que são activados. Em condições normais, estes receptores presentes pela membrana nuclear, as células são ativadas por ácidos biliares e sua ativação desencadeia a frase ou repressão de certos genes sobretudo relacionados com o metabolismo das gorduras e do colesterol. Neste sentido, a presença de fexaramina, como agonista que é de receptores faria esse mesmo tipo de respostas prontamente faladas.

Em condições normais, sem fexaramina, os receptores FXR são especialmente ativados depois da ingestão de alimentos que muito em resumo conduz a um maior utilização de gordura como substrato energético. A utilidade da fexaramina se põe de relevo no momento em que, sem ter comido, você podes replicar esse mesmo tipo de respostas típicas de ter comido… e, desta forma, sem o subsídio de calorias.

De todas as maneiras, isto que lhe conto é bastante sobre o papel, visto que sobre o funcionamento dos receptores FXR, as moléculas que sobre isto esse atuam, os agonistas, antagonistas e seus possíveis efeitos ainda existe incerteza. Contudo, há ainda diversas pegas e indefinições com conexão ao seu exercício futuro como um tratamento contra a obesidade. Agora bem, a primeira cola que eu vejo eu fexaramina como futuro tratamento é que, semelhante reconhecem os autores do estudo, o teu exercício não parece modificar o apetite.

  • Principais destinos turísticos do México
  • Inibe a reabsorção renal de PO3-4, excretándose mais PO3-4
  • Qual a ligação entre tabagismo passivo e riscos de câncer? Obrigado
  • dois História 2.1 Período moderno cedo
  • 5 Eficiência energética

Na minha avaliação esta é uma pergunta considerável, visto que “a pulsão” pros alimentos é fundamental para aproximar-se o foco da obesidade. A segunda cola assim como é interessante. Não é o mesmo que narrar que a pílula impossibilita o ganho de peso numa dieta “x”, que expor que a pílula do emagrecimento. E é que, acredite ou não… e a despeito do que possam apontar os meios de intercomunicação, o estudo não observou nenhuma perda de gordura nos ratos que usaram a fexaramina. A terceira cola é mais conceitual.

isso É, o remédio não permitiria deixar de lado o centro de fitness e atividade física ou acompanhar uma dieta razoável. Acabando já, entre as hesitações é a própria natureza do estudo. É um dos primeiros (se não o primeiro) dos ensaios realizados em ratos. Há que ser cauteloso, visto que, como a experiência nos demonstrou em inúmeras ocasiões, a realidade observada nestes roedores nem sempre é reproduzível, em seguida, em outros animais ou em humanos.